Global Entry Brasil EUA: Tudo o que você precisa saber

Global Entry
Índice deste artigo

A aprovação do Brasil no Global Entry foi uma notícia que alegrou muito as pessoas que visitam, ou pretendem visitar, os Estados Unidos. Esse novo acordo permitirá, aos brasileiros que se inscreverem, a liberação para entrada de modo mais rápido nos EUA, ainda que o visto seja obrigatório. De acordo com o governo federal, essa iniciativa irá simplificar a interação entre a iniciativa privada e o turismo.

Afinal, o que é Global Entry?

Global Entry é um serviço de Proteção das Fronteiras e da Alfândega, em outras palavras, um serviço aduaneiro que visa reduzir os riscos à soberania dos Estados Unidos.

Com este programa é possível que viajantes “amigos” possam circular de maneira mais fácil e menos burocrática pelo país sem oferecer riscos aos seus cidadãos e afins. Em outras palavras, significa que uma pessoa inscrita neste programa não gastará tanto tempo para falar com um agente de imigração, indo direto para os guichês automáticos nos aeroportos.

Global Entry: como funciona?

O programa Global Entry (GE), é voltado para aqueles visitantes frequentes e que também são considerados “confiáveis”, isso envolve principalmente executivos, empresários e turistas, no entanto, essa facilitação de ingresso no país não eximirá dos brasileiros a exigência do visto, no entanto os cidadãos interessados poderão ingressar no programa após a inscrição e aprovação.

Caso seja aprovado, o candidato irá passar por uma liberação feita através dos guichês eletrônicos presentes nos aeroportos e demais locais fronteiriços dos Estados Unidos, sem que seja necessário passar pelas filas de imigração, o que normalmente toma muito tempo.

Tal mudança foi comunicada pelo Itamaraty juntamente com a Casa Civil em uma nota que ressalta todos os benefícios que os viajantes brasileiros desfrutarão com o início da vigência da parceria entre os dois países. Tanto para o corporativismo como para o turismo a ideia é que a relação entre os países se fortaleça cada vez mais.

Global Entry: uma conquista para os brasileiros

Essa é uma conquista e tanto para os brasileiros, uma vez que o país, através dos seus dirigentes, negocia há muitos anos o fim da exigibilidade de vistos para os cidadãos, no entanto o crescente número de imigrantes que vivem de modo ilegal no país norte-americano inviabilizou, parcialmente, essa negociação. Nesse sentido, o governo brasileiro tentava negociações com a finalidade de facilitar a entrada dos seus cidadãos nos Estados Unidos, desde meados de 2015 e, este programa é mais uma das tentativas.

A inclusão, do Brasil no programa, tem se estendido há anos e chegou a ser anunciada pelos ex-presidentes Dilma Rousseff e Barack Obama, quando em exercício. Já em 2019, no governo do atual presidente, Jair Messias Bolsano, foi feito um anúncio de que o governo norte-americano iniciaria o período de testes, contemplando alguns dos cidadãos.

Em seguida, no mês de março de 2020, onde muitas cidades e estados já se encontravam em isolamento social devido à pandemia do novo Corona Vírus (Covid-19), o governo federal decretou as primeiras regras para que os brasileiros aderissem ao programa.

Global Entry: como participar?

Para participar do programa, é necessário que o candidato faça a sua inscrição por meio da plataforma do Programa Global Entry. Logo depois que o registro for realizado, é necessário pagar uma taxa de US$ 100 (cerca de R$ 520,00), valor não reembolsável, logo em seguida o cadastro será analisado pelas autoridades aduaneiras dos Estados Unidos. O valor dessa taxa também será cobrado no momento da renovação, que ocorre a cada 05 anos. Para participar, os brasileiros devem:

  • Fazer a sua inscrição na plataforma do Global Entry;
  • Cumprir com o processo de registro e avaliação prévia;
  • Pagar uma taxa de inscrição no valor de US$ 100,00 (não reembolsáveis);
  • Ser aprovado pelas Autoridades de Aduanas Norte americanas.

Global Entry: Quem pode entrar?

O programa é voltado para visitantes considerados constantes e confiáveis e, isso em parte caberá à Polícia Federal indicar quais são os cidadãos que possuem o perfil, positivo ou negativo no momento do preenchimento dos critérios solicitados pelo governo americano.

Além do Brasil, podem participar do programa cidadãos pré-aprovados e de baixo risco dos seguintes países: Colômbia, Suíça, Reino Unido e Taiwan, dentre tantos outros.

Conclusão

E aí? Curtiu o nosso conteúdo de hoje? Então, sinta-se à vontade para compartilhar com seus amigos e colegas que também possuem interesse em visitar os Estados Unidos de modo facilitado. Ah, sinta-se à vontade também para conferir e compartilhar outros artigos do Dica Útil. Até a próxima!

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Sobre o autor

Facebook
LinkedIn
Twitter
Felipe Martins
Estrategista Digital

Mineiro, entusiasta da tecnologia e amante das artes. Trabalho com Internet Marketing desde 2010. Sou dono da Agência SNR e fundador do Blog Dica Útil. Você pode falar comigo pelo email [email protected]

Publicidade

Destaques

Publicidade
Compartilhe essa dica com alguém